1001 Platôs

4ª [dez]contaminação

O espetáculo inédito 1001 PLATÔS é o carro-chefe do projeto Taanteatro 25 Anos, contemplado pelo Programa Municipal de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo – XXª Edição.

 

A relação com a Terra, a organização social e do poder, a noção do saber e a luta pela liberdade são os temas de 1001 PLATÔS, novo espetáculo da Taanteatro Companhia.


Estreia: 1 de setembro – 20h30 na Ocupação Deleuze
Temporada: 1 a 10 de setembro – sexta e sábado 20h30, dom 19h
Teatro Aliança Francesa São Paulo
Rua General Jardim, 182, São Paulo, Centro
011 35722379


A encenação, com direção de Wolfgang Pannek e direção coreográfica de Maura Baiocchi, conta com uma equipe de criação formada por artistas do Brasil, Alemanha, Argentina e Moçambique.

O disparador temático do espetáculo é Mil Platôs – Capitalismo e Esquizofrenia 2, obra do filósofo Gilles Deleuze e do psicanalista Félix Guattari.

1001 PLATÔS estreia em São Paulo como carro-chefe da Ocupação Deleuze, evento em homenagem a Gilles Deleuze organizada pela Taanteatro Companhia no Teatro Aliança Francesa. Posteriormente, estará em cartaz nos Teatros João Caetano, Centro Cultural Olido e Paulo Eiró.

Integra o projeto Taanteatro 25 Anos [Dez]Contaminações contemplado pelo Programa Municipal de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo – 20a Edição.

Em Mil Platôs, publicado na França em 1980, Deleuze e Guattari propõe uma filosofia da Terra (geofilosofia) que escapa à moralização da natureza e se opõe às instituições sociais de poder e suas tradicionais fundamentações teóricas. Na esteira de Nietzsche, e por meio da invenção de conceitos – rizoma, multiplicidade, transversalidade, intensidade, nomadismo, máquina de guerra – os autores estimulam o desenvolvimento de um pensamento crítico e criador que abre novas perspectivas para a concepção do ser humano, do Estado, do capitalismo e dos modos de vida em sociedade.

A transposição de ideias complexas para uma linguagem cênica poética, impactante e rigorosa marca a trajetória artística da Taanteatro Companhia.

Fundada em 1991 e, desde então, sediada em São Paulo, a companhia, premiada nas esferas municipal, estadual e federal, apresentou seus trabalhos sobre artistas como Frida Kahlo, William Shakespeare, Lewis Carrol, Isidore Ducasse, Samuel Beckett, George Tabori, Fernando Pessoa e Friedrich Hölderlin na Alemanha, Argentina, Austria, Bélgica, EUA, França, Inglaterra, Japão e Russia.

A Taanteatro encenou, entre 1999 e 2009, o Ciclo Nietzsche, dedicado aos escritos do filósofo alemão Friedrich Nietzsche, e realizou, entre 1996 e 2017, uma série de obras de grande êxito, entre as quais a trilogia cARTAUDgrafia e Artaud, le Mômo, sobre vida e obra do poeta francês Antonin Artaud.

Ainda assim, a abordagem teatrocoreográfica de Mil Platôs constitui um grande desafio, devido a sua exigência teórica e sua perspectiva política. Repleta de referências, a obra foge de padrões acadêmicos convencionais por aplicar o espírito anárquico de suas ideias constitutivas na forma aberta e no estilo experimental da escrita filosófica. Composto por quinze textos, totaliza mais de oitocentas páginas divididas, na edição brasileira (1995), em cinco volumes.

Teor, tamanho e complexidade de Mil Platôs obrigam à síntese. Convidam, não à representação do texto filosófico, mas à criação de um platô novo, articulado em uma poética sensorial instigante, composta pelos movimentos entrelaçados do corpo, do som, da luz, da imagem e da palavra. Concebido por Wolfgang Pannek, que fez mestrado e atualmente está doutorando em filosofia com trabalhos sobre Deleuze, 1001 PLATÔS elabora temas recorrentes do pensamento de Deleuze e Guattari – o rizoma, a multiplicidade, a geologia da moral, o corpo sem órgãos, a intensidade e os devires, as linhas de fuga e o nomadismo – à luz de experiências sociopolíticas contemporâneas: guerras econômicas e geopolíticas atuais – fluxos migratórios globais – aprofundamento do abismo entre concentração e escassez de recursos vitais – remodelagem do corpo na era tecnológica – revolta contra modelos de dominação – ameaça do colapso climático da Terra.

O processo criativo do espetáculo de Wolfgang Pannek e Taanteatro Companhia baseia-se na dinâmica taanteatro (teatro coreográfico de tensões) documentadas em projeto editorial desde 2007.

 

Ficha Técnica:

Dramaturgia, texto, cenário, direção: Wolfgang Pannek
Direção coreográfica: Maura Baiocchi
Elenco: Maura Baiocchi, Isa Gouvea, Wolfgang Pannek, Mônica Cristina, Jorge Armando Ndloze, Janina Arnaud, Gustavo Braunstein, Oz Ferreira, Hiro Okita
Composição Musical:Gustavo Lemos
Projeto de vídeo: Edu Luz, Cibele Appes, Fuzuê Filmes
Video-desenhos: Onofre Roque Fraticelli, Candelaria Silvestro
Iluminação:Hernandes de Oliveira
Figurino: Eurico Da Rocha

Desenho gráfico: Hiro Okita
Produção: Wolfgang Pannek, Mônica Cristina Bernardes
Fotos: Roberto Huczek

Duração: 90 min.
Idade recomendada: 12 anos
Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia)
Contato: contato@taanteatro.com
Fone: 011 99909 5060

 



 

TAANTEATRO 25 ANOS [Dez]contaminações, Projeto Contemplado pelo Programa Municipal de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo – 20ª Edição.

www.taanteatro.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s