Artaud, Le Mômo na Funarte SP

ARTAUD, LE MÔMO

Maura Baiocchi e Taanteatro Companhia

Funarte São Paulo – Sala Renée Gumiel

10 de março a 2 de abril de 2017

 

Elogiada pela crítica, Taanteatro Companhia volta da Europa para apresentar Artaud, le Mômo.

Florence de Merèdieu[1], professora de estética da Sorbonne, biógrafa e estudiosa do poeta e criador do Teatro da Crueldade Antonin Artaud considerou “sensacional” o desempenho de Maura Baiocchi em Artaud, le Mômo apresentado no Théâtre de Nesle em Paris:

“Baiocchi ultrapassa amplamente todas as interpretações dadas até agora. Ela é Artaud e além de Artaud. Sem dúvida, é a primeira vez que le Mômo é encarnado dessa forma e por uma mulher”,

registrou em seu blog Journal Ethnographique.

Em sua recente e aclamada turnê pela Europa, a “grande riqueza e maturidade impressionante” da Taanteatro Companhia foram testemunhadas não somente pela autora de Eis Antonin Artaud e o público parisiense, mas também no Espaço Antonin Artaud da Chapelle Paraire, último edifício remanescente do antigo manicômio de Rodez, onde o criador do Teatro da Crueldade esteve internado durante os últimos anos da Segunda Guerra Mundial.[2]

theophile-choquet
Maura Baiocchi em ARTAUD, LE MÔMO

“Passei 9 anos internado em asilos de alienados e isto perdoarei jamais a esta sociedade de castrados imbecis que … jamais soube propor a ninguém uma razão válida para existir.” A. Artaud

Artaud, le Mômo estreou em 2016 no Teatro da Aliança Francesa para comemorar o 120º aniversário de Antonin Artaud (1896-1948).[3]  A seguir foi apreciado em curta temporada no Teatro Sérgio Cardoso. A nova temporada do espetáculo, entre 10 de março e 2 de abril de 2017, na Funarte São Paulo, dará ao público paulista a oportunidade de vivenciar a elaboração meticulosa e abusada do universo alucinatório do poeta surrealista. Inspirado em textos artaudianos selecionados – As novas revelações do ser ; Verdadeira história de Artaud, o Momo[4] ; Supostos e Supliciações; A face humana; O homem árvore, entre outros – o espetáculo demonstra a atualidade da poética artaudiana diante dos conflitos sócio políticos, econômicos e culturais em tempos globais. Confronta os “mantenedores da ordem do lucro das instituições sociais e burguesas”, os agentes das guerras e todas as formas de “escravidão contemporânea” com um combate em favor da “liberdade autêntica” do ser humano criativo.

“E o conflito entre a América e a Rússia, mesmo multiplicado por bombas atômicas, pouca coisa será, face ao outro, que irá, de um só golpe, disparar entre os mantenedores e uma humanidade digestiva por um lado e por outro o homem da vontade pura e seus raros seguidores, mas que têm por si a forca eterna.” A.Artaud

Maura Baiocchi conta com uma equipe internacional e multidisciplinar: o alemão Wolfgang Pannek, co-diretor da Taanteatro, na dramaturgia, os argentinos Onofre Roque Fraticelli e Candelaria Silvestro na criação das vídeo-animações e os brasileiros Gustavo Lemos na trilha sonora e Eduardo Alves no desenho de luz. A encenação integra o projeto Taanteatro 25 Anos e tem o suporte do Programa Municipal de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo – XXª Edição.

SERVIÇO

10 de março a 2 de abril de 2017

Sextas-feiras e sábados 19h, domingos 18h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia entrada)

Duração: 90 min

Local: Funarte São Paulo – Sala Renée Gumiel

Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos, São Paulo

(próximo ao Metro Marechal Deodoro)

Fone: 011 3662 5177

Recomendação: 12 anos

Capacidade: 50 lugares

*Ingressos na bilheteria do local uma hora antes do espetáculo

Contato para imprensa:

Transcultura

Wolfgang Pannek: contato@taanteatro.comwolfgangpannek@hotmail.com

Fone: 011 99909 5060


[1] Florence de Mèredieu,  é autora dos livros  Cést Antonin Artaud, Antonin Artaud dans La Guerre, Sur l’electrochoque – Le cas Artaud, entre outros.

[2] Além disso, Maura Baiocchi e a Taanteatro Companhia apresentaram-se em Strasbourg, Freiburg, Schwerte e Berlin.

[3] Artaud, le Mômo é uma síntese e um processo antropofágico da coreografia desenvolvida em cARTAUDgrafia, trilogia dirigida por Wolfgang Pannek e que traduz dimensões específicas da produção artaudiana – as crises do espírito, da cultura e da linguagem – relativas ao problema da representação no Ocidente.

[4] Na mitologia grega, Momo é uma divindade nascida de Nix, a noite. Expulso do Olimpo por criticar os outros deuses, Momo é a personificação do sarcasmo, das burlas, da zombaria e das grande ironias.  Comparável à função do palhaço ou do bufão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s